quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O que foi feito, foi feito.

Tudo ia perfeitamente bem, estava certo demais para parecer real, mas até o fim eu acreditei. Ou melhor, talvez não. Acho que foi aí que errei. Não acreditar o suficiente, pensar que a qualquer momento tudo pudesse dar errado, e tive medo de que fosse assim. Para me sentir melhor, poderia culpar outro alguém, qualquer um, mas saberia que sempre fui eu. Eu que me escondi atrás de mim mesma, eu quem mais ansiava pelo que havia de vir, e eu que tive medo.
Definitivamente errei em ter medo, em nãoa creditar, e ainda arrastar outras pessoas para a minha insegurança. Não digo que fui a única que estragou tudo, e realmente não fui. Se eu apenas acreditasse, e deixasse acontecer, eu poderia ter apagado o deslize feito, e simplesmente dar a volta por cima. E não foi isso que fiz.

3 comentários:

MED MUCHSTTER disse...

Arrasou! Acho que por mais que tentemos não culpar os outros, a gente sempre acha algo errado neles. As vezes esquecemo-nos que também há erros em nós. Erros são criados para nos ensinar. Então, que cresçamos com nossos erros. BEIJITOS, adorei! Foi escrito muito bem, e com o coração. PARABÉNS

L! disse...

fictício ou real, bea?
quero saber mais nas próximas cartas u_u

beatriz albarez disse...

MED MUCHSTTER : Muito obrigada, fico feliz que osto do texto. Concordo contigo, e como sempre ouvimos dizer: é errando que se aprende ! Beijos :*
L! : LUUUU bebita, te explico tudo na carta. te amo ♥